Acesso a Informação
Acesso a monitoramento
Servidor Online
Hoje é 07 de julho de 2020



Câmara congela subsídios para próxima legislatura e reduz remuneração do presidente

Avalie este item
(0 votos)
Segunda, 29 Junho 2020 12:29

Como previsto pela Constituição Federal, no final de cada legislatura os vereadores atuais precisam definir em lei o subsídio que os próximos parlamentares eleitos receberão ao assumir. Para o ano que vem, a Mesa Diretora decidiu que não haverá nenhum tipo de reajuste nos vencimentos dos vereadores e também optou por reduzir a remuneração do presidente da Câmara. O Projeto de Resolução 04/2020 foi discutido e votado nesta segunda-feira (29) e foi aprovado por unanimidade pelos vereadores. 

Para a legislatura 2021-2024 serão mantidos os subsídios atuais de R$ 12.078,49 para os parlamentares e o subsídio da presidência ficará em R$ 13.927,24, uma redução de R$ 1.266,11.  Nos dois últimos anos os vereadores receberam apenas a correção da inflação do período, a título de revisão geral anual prevista no artigo 37 da Constituição Federal baseada os índices IPCA e IGPM, mesmo percentual concedido também ao funcionalismo público.

O presidente Alécio Espínola lembra que o Legislativo vem trabalhando de maneira a corresponder às prioridades da cidade e por isso abriu mão de R$ 2 milhões de seu orçamento para serem investidos no combate à Covid-19. “Mais uma vez estamos propondo uma lei que vai ao encontro dos anseios da população, por economicidade e eficiência na gestão pública”, defende o presidente.

Verbas extras

A Câmara de Cascavel não concede nenhum tipo e verba de gabinete para os vereadores além do subsídio. Não é pago auxílio-alimentação, transporte ou moradia, plano de saúde e muito menos os auxílio-paletó. 

Os gastos com transporte, telefone, impressão e correios são realizados através de contratos pela Câmara e os vereadores precisam comprovar com notas fiscais e relatórios todos os gastos. É proibido o pagamento de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória.

Todos as receitas e despesas da Câmara podem ser acompanhadas em detalhes pela população através do link https://www.camaracascavel.pr.gov.br/transparencia.html

Como funciona o cálculo

O subsídio do vereador pode variar entre 20% a 75% do que recebe um deputado estadual de cada estado. No caso de Cascavel, com mais de 300 mil habitantes, esse percentual pode chegar a 60%. Como em 2020 os deputados estaduais do Paraná têm um salário de R$ 25.3222,25, o teto para os vereadores cascavelenses seria superior a R$ 15 mil, enquanto o texto em análise especifica que os vereadores continuarão recebendo R$ 12.078,49 e R$ 13.927, 24 o subsídio pago ao presidente.

O legislativo não pode se eximir de aprovar a lei que define o subsidio dos vereadores, se não estaria contrariando a Constituição Federal e poderia sofrer penalidades como rejeição das contas pelo Tribunal de Contas do Paraná.

Assessoria de Imprensa/CMC

 

Câmara congela subsídios para próxima legislatura e reduz remuneração do presidente

 

Como previsto pela Constituição Federal, no final de cada legislatura os vereadores atuais precisam definir em lei o subsídio que os próximos parlamentares eleitos receberão ao assumir. Para o ano que vem, a Mesa Diretora decidiu que não haverá nenhum tipo de reajuste nos vencimentos dos vereadores e também optou por reduzir a remuneração do presidente da Câmara. O Projeto de Resolução 04/2020 foi discutido e votado nesta segunda-feira (29) e foi aprovado por unanimidade pelos vereadores.

 

Para a legislatura 2021-2024 serão mantidos os subsídios atuais de R$ 12.078,49 para os parlamentares e o subsídio da presidência ficará em R$ 13.927,24, uma redução de R$ 1.266,11. Nos dois últimos anos os vereadores receberam apenas a correção da inflação do período, a título de revisão geral anual prevista no artigo 37 da Constituição Federal baseada os índices IPCA e IGPM, mesmo percentual concedido também ao funcionalismo público.

 

O presidente Alécio Espínola lembra que o Legislativo vem trabalhando de maneira a corresponder às prioridades da cidade e por isso abriu mão de R$ 2 milhões de seu orçamento para serem investidos no combate à Covid-19. “Mais uma vez estamos propondo uma lei que vai ao encontro dos anseios da população, por economicidade e eficiência na gestão pública”, defende o presidente.

 

Verbas extras

 

A Câmara de Cascavel não concede nenhum tipo e verba de gabinete para os vereadores além do subsídio. Não é pago auxílio-alimentação, transporte ou moradia, plano de saúde e muito menos os auxílio-paletó.

 

Os gastos com transporte, telefone, impressão e correios são realizados através de contratos pela Câmara e os vereadores precisam comprovar com notas fiscais e relatórios todos os gastos. É proibido o pagamento de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória.

 

Todos as receitas e despesas da Câmara podem ser acompanhadas em detalhes pela população através do link https://www.camaracascavel.pr.gov.br/transparencia.html

 

Como funciona o cálculo

 

O subsídio do vereador pode variar entre 20% a 75% do que recebe um deputado estadual de cada estado. No caso de Cascavel, com mais de 300 mil habitantes, esse percentual pode chegar a 60%. Como em 2020 os deputados estaduais do Paraná têm um salário de R$ 25.3222,25, o teto para os vereadores cascavelenses seria superior a R$ 15 mil, enquanto o texto em análise especifica que os vereadores continuarão recebendo R$ 12.078,49 e R$ 13.927, 24 o subsídio pago ao presidente.

 

O legislativo não pode se eximir de aprovar a lei que define o subsidio dos vereadores, se não estaria contrariando a Constituição Federal e poderia sofrer penalidades como rejeição das contas pelo Tribunal de Contas do Paraná.

Câmara congela subsídios para próxima legislatura e reduz remuneração do presidenteMarcelino Duarte/ Assessoria CMC